Democracia

CHARLOTTESVILLE

Charlottesville é um divisor de águas nos EUA. O que se viu ali, os protestos, os confrontos de rua, as suásticas em desfile, a morte de uma jovem, a retirada de estátuas de soldados sulistas da guerra civil, tudo isso ocorreu numa cidade do Estado de Virgínia, a duas horas e pouco de Washington, DC. Supremacistas brancos marcharam em nome da superioridade da raça branca, invocando o presidente dos EUA como guia e inspiração. O cenário parece fictício, mas não é. O racismo aberto ganhou força com a eleição de Trump. O racismo contra negros e judeus, e a intolerância com gays, ganhou ares de legitimidade, o que desafia a todos que, incrédulos, viram grupos de racistas vociferando pela superioridade dos brancos. Todos – menos seus apoiadores – esperavam que o presidente Donald Trump condenasse com veemência aquilo e se desmarcasse do discurso de ultra direita radical.  Mas não foi…

EUA

O “truco” de Trump

Quem já viu ou jogou truco sabe que os jogadores “profissionais” ganham muitas partidas – e reputação de bons jogadores – no grito, com muito blefe. Donald Trump é um truqueiro e usa seu Twitter o tempo todo para trucar países e pessoas. Como empresário, ele fazia isso sempre e às vezes ganhava, às vezes perdia. Mas o jogo do presidente, quando se depara com um rival que gosta de brincar – e tem algumas cartas perigosas na manga – pode resultar numa catástrofe. Assim é o jogo entre os EUA, de Trump, e a Coréia do Norte, de Kim. Um jogo perigoso, em que cada um diz “truco!” mais alto para impressionar os que estão em volta, acompanhando de perto e de longe. A China, que está perto, tem sido intimada a aconselhar Kim a deixar de lado o truco e jogar algo mais inofensivo, talvez um buraco. Beijing…

América do Sul

Sobre a crise na Venezuela

A crise da Venezuela é o tema mais importante da região latino-americana no momento. A crise é complexa porque é política e econômica. Os crescentes embates entre o governo de Nicolás Maduro e a oposição vem ganhado perigosa intensidade nas ruas daquele país. A convocação pelo governo de uma Assembleia Constituinte é mais um capítulo que estica a corda da polarização em curso. Há notórias indicações de uma crise humanitária provocada pela escassez de alimentos e de medicamentos. O número de imigrantes forçados venezuelanos que atravessa as fronteiras com os vizinhos aumenta a cada dia, gerando pressão sobre as populações locais naqueles países. Muitos tentam alcançar o Caribe, por meio de balseros, algo impensável de acontecer até poucos anos atrás numa das nações petrolíferas do planeta. O Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR) vem monitorando a situação e exortando os governos vizinhos a receber o os migrantes venezuelanos. No…

Democracia

Trump aumenta cerco a imigrantes

Os imigrantes estão cada vez mais vulneráveis nos EUA. O presidente Donald Trump obteve uma vitória parcial de sua política antimigratória na Suprema Corte e resolveu avançar no cerco a imigrantes indocumentados residentes no país. Longe de serem um peso ou uma ameaça, os imigrantes representam uma riqueza essencial da cultura e da economia dos EUA. Quem mais e melhor reconhece isso são as médias e grandes cidades, que concentram a maior parte dos imigrantes. Por isso, há um crescente movimento das chamadas cidades-santuário (sanctuary cities). Esse movimento nasceu nos anos de 1980, por influencia da Igreja Católica, para proteger imigrantes centroamericanos refugiados das guerras civis na América Central.  Ele consiste em que as autoridades locais não perseguem ou denunciam imigrantes indocumentados ao governo federal. Esse movimento ressurge agora, com cidades e estados se recusando a colaborar com a política imigratória de Trump. Inconformado com essa atitude das cidades –…

Europa

Ressurge o Projeto Europeu?

As eleições gerais na França conferem maioria ao novo governo do Presidente Macron. Europeísta, com visão mais liberal, Macron reafirma o compromisso do Eliseu com a Europa, afastando a ameaça que se espreitou com Marine Le Pen, semanas atrás. E a vitória pífia da Primeira Ministra Teresa May no Reino Unido, junto com a derrota vitoriosa dos Trabalhistas de Corby enfraqueceram o motor do Brexit, cujo andar se fará mais lento e cheio de obstáculos, embora o trem da desconexão não tenha descarrilhado… Ressurge o projeto europeu? A resposta é positiva, se se considera que França e Alemanha são as duas avalistas cruciais da União Europeia e do que se construí até aqui. São 60 anos desde o Tratado de Roma (1957) que criou a Comunidade Europeia, antecessora da União. Mas que Europa se seguirá com Macron-Merkel? É possível que a eleição francesa influencie o pleito alemão, cuja contenda não…