Opinião

Nilmar, a última cartada

A três meses do fim da temporada e seis jogos do grande objetivo do ano, o título da Libertadores, o Santos vê o atacante Nilmar como a última cartada em condições de resolver a escassez de gols. Principal contratação do clube na segunda janela de transferências de 2017, ele, apesar da dificuldade para se livrar do estigma de jogador frágil, tem um repertório indiscutivelmente superior em relação a Copete, seu concorrente direto na posição.

Antes de mais nada, é preciso entender que Nilmar não veio ao Santos para concorrer com Ricardo Oliveira e Kayke. Jogar centralizado não é sua praia, como o próprio jogador admitiu em entrevista recente ao UOL Esporte.

“Me firmei mais como atacante por fazer gols e pela velocidade. No início, sempre jogávamos com dois atacantes tendo essa liberdade para nos movimentarmos. Não sou um centroavante que fica parado, até porque acabo participando muito pouco. Pelo meu porte físico, jogar de costas é algo complicado“, afirmou.

Ou seja, o próprio Nilmar frisa que seu ponto forte é aliar velocidade aos gols – algo que Bruno Henrique, outro jogador leve, vem fazendo muito bem na Vila Belmiro. Com mais uma alternativa interessante pela outra ponta, o Santos passa a depender menos de Bruno Henrique e deixa de ser tão previsível.

Hoje, as idas do Peixe à área adversária passam quase sempre por apenas quatro pés: de Lucas Lima e Bruno Henrique. Copete, mesmo com seu louvável esforço, mais vem atrasando as jogadas de ataque do que colaborando. E Ricardo Oliveira, menos acionado do que antes, é um espectador de luxo. Nilmar, em tese, é capaz de transformar esse cenário, até por encostar mais nos meio-campistas e ser uma opção de passe para os laterais.

Aos 33 anos, Nilmar tem mais bagagem do que praticamente todo o elenco santista – só Ricardo Oliveira e Renato se aproximam nesse quesito. Disputou Copa do Mundo, enfrentou zagueiros do calibre de Sergio Ramos nos tempos de liga espanhola, balançou as redes do Barcelona, juntou muito dinheiro e em momento algum deixou dúvidas sobre sua capacidade técnica.

Resta saber se seus combalidos joelhos aguentarão o tranco para torná-lo figura importante na Vila Belmiro. Nos dois jogos disputados até aqui, contra Coritiba e Cruzeiro, pouco acrescentou. Ainda é cedo para tirar conclusões. Com mais ritmo e o preparo físico afiado depois da pausa para os jogos das Eliminatórias para a Copa, terá a chance de provar que ainda pode ser encarado como grande jogador, não apenas como atleta em fim de carreira.



11 comments

  1. Laercio

    ” jogo centralizado não é sua praia “. Kkkkkkkkkkkkkkkkkllkllkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Sua praia é Gonzaga, Boqueirão, Guarujá kkkkkkkkkkkkkkkkkllkllkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Mais um para comer, beber, chinelinho, muita grana e praia. Kkkkkkkkkkkkkkkkkllkllkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. E muita gente ganhando muita grana com isso kkkkkkkkkkkkmkkk

  2. reginaldo

    Pedro, bom dia! Voce esta sugerindo que o Santos jogue no 4-3-3, com Nilmar, R. Oliveira e B. Henrique na frente? É certo que o canhoto Copete nao vem bem no lado direito do ataque, mas, so com essa alteracao, o ataque nao vai ter uma grande evolucao. Para melhorar o ataque, necessariamente, o meio de campo precisa melhorar tambem. Ha uma dependencia muito grande do L. Lima na armacao das jogadas. Os volantes nao se apresentam como opcoes para o ataque e os laterais tambem nao ajudam. Ambos nao tem acertado as jogadas de passagem com os atacantes de lado. O destro Zeca raramente consegue fazer jogada de linha de fundo e o Vitor Ferraz nao tem disciplina tática. Joga onde der na telha e erra muitos cruzamentos. Enfim, uma simples substituição não resolve. Alem disso, o Nilmar que tem jogado pelo Santos pouco ou nada lembra aquele jogador veloz que jogou por aqui em outros tempos.

  3. musa

    Nilmar não jogador pra correr atras de lateral como copete..
    Sempre foi atacante, pelos lados,,,,,,fechava a marcação até uma altura, não corria feito louco atras de lateral…

    Se colocarem o cara no lugar do copete pra fazer o que o copete faz, manda embora e paga os salários, ele não produzirá nada.

    Bruno henrique e nilmar, assessorado pelo marrento, e três homens de marcação que fechem esse meio.. e consigam pelo menos dar passes na vertical..

    Testar o zeca na direita,,,,,,jogou assim na olimpiada..

    Vitor avenida, no banco ou de auxiliar….

    O resto é só treinar e organizar, o cu lixo não tem ninguém e joga organizado…

  4. FRANCISCO MENEZES

    BELEZA MUSA, DE ACORDO!!!!!!!!!.

  5. José Carlos

    A solução é VECHIO n meio simples assim com ele em campo aparece mais o jogo d apagado Lucas Lima, agora se quiser melhorar mais o time coloca Daniel Guedes n lugar d Victor Ferraz e o Gustavo ou Nogueira ou Luis Felipe n lugar Devid Brás e o time estará pronto será Campeão da Libertadores 2017 e com um pouco mais de esforço ganha Brasileirão ainda.

  6. FRANCISCO MENEZES

    FIQUEI DA PREFERENÇIA DA GLOBO PELA SULAMERICANA DIA 13. SE A LIBERTADORES. E O SFC NAO DAO AUDIÊNCIA, TUDO BEM. SO QUE O SFC TAMBEM DEMONSTRE O SEU DESAPREÇO POR ESTA REDE ESGOTO. CORTA TODA E QUALQUER RELAÇAO COM A MESMA JUNTAMENTE COM SEUS ATLETAS. NOS TAMBEM NAO LIGUEMOS MAIS ESTE CANAL PRONTO. AGORA PERECEMOS MULHER RUIM QUE GOSTA DE APANHAR E DAR RISADINHA.

  7. jair sergio de morars

    Nilmar, na minha opinião não pode jogar de lado, ele é um centroavante de movimentação, meu time seria:
    Vanderlei
    Daniel Guedes ou Vitor Ferraz
    Veríssimo
    Gustavo Henrique ou David Braz(melhorou com Levir, não entrega tanto a rapadura e está jogando sério)
    Um volante que marque e saiba jogar(hoje não temos)
    Renato, Lucas Lima e Vecchio.
    Bruno Henrique e Nilmar.
    Fechadinho atrás e jogando em velocidade no contra ataque.

  8. kiko

    AGORA O CAJU VAI VOLTAR.

  9. R Lucas Bezerra

    SANTISTAS, acho que queremos GANHAR alegrias. Só! Somente alegrias. O nosso amigo, PEDRO LOPES, quer resolver o problema do atual time do SFC, com mexidas que jamais vão resolver o PROBLEMÃO, que o técnico insiste em manter. O problema da falta de gols e de volume de jogo se dá única e exclusivamente com as escalações do ZECA e do ALISSON. Acreditem, SANTISTAS, se o Jean MOTA (medrosinho!!!) estivesse jogando o nosso time tinha, pelo menos, 30% a mais de volume de jogo. Isso foi e é visível. Volta CAJÚ. Toma conta da posição. Ao menos você é LATERAL ESQUERDO.

  10. manoel

    Trocamos de comissão técnica no meio do voo. Tinha uma panela instalada. O Levir chegou e integrou os fora-da-panela. Há uma clara reação da panela, pois não é fácil destruí-la sem cortar na carne e o clube hoje não pode mandar embora profissionais competentes. Então o serviço é lento mesmo. Defendia no ano passado que deveríamos ter trocado de técnico, mas não deu, por clara incompetência de nossa diretoria. Agora não ver progresso na gestão técnica do time é errado. O Vanderlei continua sendo nosso porto seguro na defesa, mas a zaga melhorou. Os laterais ainda são o ponto fraco. No meio sentimos falta de mais um organizador, que chegou a ser o Vecchio, mas na falta desse, quase todos tem performance menor que o Renato e, é difícil tirar um dos paneleiros nesse caso. No ataque temos o principal paneleiro, mas com o Bruno melhorou. Tomara que o Nilmar seja bem sucedido. Agora espero que mesmo que tenhamos sucesso este ano, que no próximo ano seja desmantelada esta panela. Porém temos que ter contrapartida de não atrasar salários e de termos uma gestão profissional e não amadora com a que temos hoje na direção do clube.

  11. FRANCISCO MENEZES

    ACHO QUE O ULTIMO APAGOU A LUZ. OU TORCIDINHA DE SOFA VIU. ACORDA CAMBADA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *