Campeonato Brasileiro

Ladeira abaixo

Caindo pelas tabelas, o Santos vem se arrastando em campo neste fim de Brasileirão. O encerramento do campeonato só não será mais trágico para o Peixe porque Botafogo e Flamengo também tropeçaram e não terão condições para ameaçar a presença santista na Libertadores-2018. A verdade é que o Santos é, neste momento, um time sem rumo. A falta de direção é consequência de uma série de fatores: um pseudotécnico no comando da equipe, um elenco mimado e sem alma, a dependência criada sobre Bruno Henrique e um clima conturbado dentro do clube. É impressionante como, em determinados momentos das partidas, o Santos se perde de repente. Na Arena Fonte Nova, o time foi para o intervalo jogando um futebol decente, criando chances de gol – e aproveitando uma delas, com Bruno Henrique empurrando para as redes – e ameaçando o Bahia. O problema é que não é preciso muito para…

Campeonato Brasileiro

Fiasco em Chapecó mostra que o Santos precisa de mais luta e menos apatia para garantir vaga direta na Libertadores

O fiasco em Chapecó abriu algumas feridas dentro do Santos. Duas derrotas vexatórias em cinco dias fizeram com que a equipe abandonasse o sonho distante do título e passasse a se preocupar com a ida à fase de grupo da Libertadores. Para o santista, acompanhar as partidas desse time é um enorme desprazer. Ontem, por exemplo, o Santos não teve uma virtude sequer. Entrou em campo desorganizado – com um lateral direito lento, Victor Ferraz, improvisado na esquerda -, sem vibração alguma e com Lucas Lima no mundo da lua, no enésimo sinal de que não tem mais interesse de vestir a camisa 10 que já foi de Pelé. Tratando com rigor o elenco atual, apenas três nomes se salvam: Bruno Henrique, Vanderlei e Alison. O volante entra na lista por ser o único entre os jogadores de linha a escapar da letargia coletiva que toma conta do Santos em…

Campeonato Brasileiro

Ainda dá?

O lendário Paulo Francis, ícone do jornalismo brasileiro, dizia que o otimista, antes de mais, é um mal informado. Uma parcela da torcida santista ficou ligeiramente otimista com a boa vitória sobre o Atlético-MG, mas os seis pontos e os dois jogos fáceis que o Corinthians tem em Itaquera na sequência – Avaí e Fluminense – complicam demais as pretensões de Elano e cia. Para que a taça deixe de ser um delírio de torcedores que se apegam à paixão e ignoram a razão, o Santos deve se livrar de vez do futebol horroroso dos tempos de Levir e voltar a mostrar as virtudes apresentadas no último sábado. E não é só isso. Além de fazer a lição de casa contra o Vasco, o Peixe deve contar com um tropeço corintiano em Curitiba, diante do Atlético-PR. Qualquer combinação que não seja essa praticamente decreta o título para os comandados de…

Campeonato Brasileiro

Título é sonho impossível. Briga do Santos no Brasileiro é pela vaga direta na Libertadores

O empate por 1 a 1 contra a Ponte Preta complica a (pequena) possibilidade de título que o Santos tem no Brasileiro, mas quem já vinha com os pés no chão e conhece as limitações da equipe, seja no comando técnico ou no próprio elenco, tem boas razões para aprovar o desempenho em Campinas. Com a entrada do ótimo Matheus Jesus, o Peixe ganhou um volume de jogo que não tinha até então. O jovem meio-campista tomou conta do setor e vem dividindo a responsabilidade pela saída de jogo com Lucas Lima, que finalmente não se vê sobrecarregado. Jesus tem excelente porte físico, marca os adversários com firmeza e é participativo na distribuição de jogo. A sequência de atuações consistentes faz com que a volta de Renato ao time titular seja improvável. É nítido que, atualmente, Matheus Jesus entrega muito mais ao Santos do que o veterano. O mesmo vale para…