Opinião

Faltou base para Bruno Henrique?

O amigo e competente jornalista Dassler Marques escreveu uma reflexão sobre o futebol de Bruno Henrique, o principal jogador do Santos na atualidade. Como o estilo de jogo do atacante sempre gera debates interessantes, aproveito para compartilhar com vocês. ** Poucos jogadores serão tão capazes de ilustrar a importância da formação quanto o santista Bruno Henrique. Depois de um jogo recente em que ele fez três gols, Levir chegou a dizer que havia sido um dos piores em campo. Também faz bastante sentido. Bruno é um jogador muito interessante por algumas características inatas. Muita velocidade, resistência, biotipo favorável, enorme habilidade para driblar e tabelar e ainda uma atitude positiva. Tem personalidade e não foge do jogo. Porém, só despontou no Itumbiara e só apareceu de verdade no Goiás, com 25 anos. Teve uma formação muito ruim e passou sem destaque na base do Cruzeiro. Essa trajetória limitou muito seu potencial. Dois…

Opinião

De exemplo de esforço a “cemitério de jogadas”: o declínio de Copete

Amargando sua pior fase desde que chegou ao Brasil, Copete, segundo o UOL, volta ao time titular do Santos nesta segunda-feira, contra a Chapecoense. O atacante colombiano vem perdendo prestígio dentro do clube há mais de três meses, já que tem errado grande parte das jogadas que tenta. Sua última boa partida aconteceu no fim de julho, diante do Flamengo, pela Copa do Brasil. Até então, o colombiano era visto como um dos atletas mais voluntariosos do elenco, ganhando aplausos por correr o tempo todo, por marcar gols em momentos importantes – ajudou a salvar Dorival Júnior da demissão na reta final do Brasileirão-2016 – e pelo bom desempenho no jogo aéreo. Atualmente, no entanto, todas as virtudes de Copete sumiram. Os mais exigentes da sempre crítica torcida santista dizem que o jogador tornou-se um “cemitério de jogadas”. Faz sentido, afinal, todas as bolas que passam por seu pé não…

Opinião

Derrota para o Vasco engrossa a lista de fracassos de uma geração que só falha em momentos importantes

O Santos deu de bandeja o título do Campeonato Brasileiro ao Corinthians ao protagonizar mais um papelão dentro de casa. A revolta da torcida é justíssima. Não há como ser complacente com um time tão apático em momentos decisivos. Quem viu o Santos em campo em jogos contra Vitória, Vasco e Atlético-GO, entre tantas outras, não entende como um time tão desorganizado e desinteressado chegou à reta final do principal campeonato do país lutando pelas primeiras colocações. Displicente, o time de Elano teve dificuldades no primeiro tempo e até achou um gol em uma bela jogada de Lucas Lima e Ricardo Oliveira, mas deixou o Vasco crescer nos minutos finais e viu a equipe carioca chegar à virada. A virada vascaína começa numa rara falha de Vanderlei, que não soube espalmar o tirambaço do jovem Evander. Depois, o Santos cometeu um erro primário ao fazer uma falta próxima à área…

Opinião

Bruno Henrique: ponto fora da curva

O Santos é um time com Bruno Henrique e outro sem ele. Se o camisa 27 está em campo, a defesa adversária já entra em alerta. Acompanhá-lo em suas arrancadas é quase impossível. A rapidez é a mesma na hora de driblar os adversários e servir os companheiros. A combinação de dribles e velocidade faz de Bruno Henrique um dos poucos jogadores capazes de desequilibrar uma partida em um futebol cada vez mais pobre tecnicamente. Atualmente, Bruno Henrique é rei em uma terra de cegos. Ao lado de Vanderlei, vem ajudando a salvar o Campeonato Brasileiro de um time com repertório limitadíssimo. Antes da boa vitória contra o Atlético-MG, a última atuação convincente do Peixe havia sido contra o Corinthians, em um domingo em que o camisa 27 desmoralizou o lateral direito Fagner na Vila Belmiro. Não é coincidência. Se Bruno Henrique brilha, o Santos vai bem. Entre os jogadores…