Opinião

Derrota para o Vasco engrossa a lista de fracassos de uma geração que só falha em momentos importantes

O Santos deu de bandeja o título do Campeonato Brasileiro ao Corinthians ao protagonizar mais um papelão dentro de casa. A revolta da torcida é justíssima. Não há como ser complacente com um time tão apático em momentos decisivos. Quem viu o Santos em campo em jogos contra Vitória, Vasco e Atlético-GO, entre tantas outras, não entende como um time tão desorganizado e desinteressado chegou à reta final do principal campeonato do país lutando pelas primeiras colocações. Displicente, o time de Elano teve dificuldades no primeiro tempo e até achou um gol em uma bela jogada de Lucas Lima e Ricardo Oliveira, mas deixou o Vasco crescer nos minutos finais e viu a equipe carioca chegar à virada. A virada vascaína começa numa rara falha de Vanderlei, que não soube espalmar o tirambaço do jovem Evander. Depois, o Santos cometeu um erro primário ao fazer uma falta próxima à área…

Campeonato Brasileiro

Ainda dá?

O lendário Paulo Francis, ícone do jornalismo brasileiro, dizia que o otimista, antes de mais, é um mal informado. Uma parcela da torcida santista ficou ligeiramente otimista com a boa vitória sobre o Atlético-MG, mas os seis pontos e os dois jogos fáceis que o Corinthians tem em Itaquera na sequência – Avaí e Fluminense – complicam demais as pretensões de Elano e cia. Para que a taça deixe de ser um delírio de torcedores que se apegam à paixão e ignoram a razão, o Santos deve se livrar de vez do futebol horroroso dos tempos de Levir e voltar a mostrar as virtudes apresentadas no último sábado. E não é só isso. Além de fazer a lição de casa contra o Vasco, o Peixe deve contar com um tropeço corintiano em Curitiba, diante do Atlético-PR. Qualquer combinação que não seja essa praticamente decreta o título para os comandados de…

Opinião

Bruno Henrique: ponto fora da curva

O Santos é um time com Bruno Henrique e outro sem ele. Se o camisa 27 está em campo, a defesa adversária já entra em alerta. Acompanhá-lo em suas arrancadas é quase impossível. A rapidez é a mesma na hora de driblar os adversários e servir os companheiros. A combinação de dribles e velocidade faz de Bruno Henrique um dos poucos jogadores capazes de desequilibrar uma partida em um futebol cada vez mais pobre tecnicamente. Atualmente, Bruno Henrique é rei em uma terra de cegos. Ao lado de Vanderlei, vem ajudando a salvar o Campeonato Brasileiro de um time com repertório limitadíssimo. Antes da boa vitória contra o Atlético-MG, a última atuação convincente do Peixe havia sido contra o Corinthians, em um domingo em que o camisa 27 desmoralizou o lateral direito Fagner na Vila Belmiro. Não é coincidência. Se Bruno Henrique brilha, o Santos vai bem. Entre os jogadores…

Opinião

Omelete queimado: como Modesto Roma arranhou sua própria imagem nos últimos 60 dias

Faltando pouco mais de um mês para as eleições do Santos, Modesto Roma atravessa um de seus piores momentos à frente do clube. Os dois últimos meses foram péssimos para sua imagem e podem comprometer seus planos de reeleição. Dentro de campo, a queda para o Barcelona-EQU anulou uma das principais cartas na manga que Modesto tinha para alcançar a reeleição: a possibilidade de título da Libertadores. Caso o tetracampeonato viesse, ainda em clima de festa na Vila, o presidente poderia mascarar as falhas de sua administração e teria mais chances de se reeleger. Depois, sua falta de comando foi escancarada no episódio da recontratação de Levir, supostamente a pedido dos principais nomes do elenco. Para piorar a situação, Modesto, oito dias depois daquela sexta-feira tragicômica após o empate com o Sport, decretou a saída do treinador. “Uma semana antes, era hora de cobrar e não de mudar. As cobranças de…