Subsolo na Caldeira - Marcel Caldeira

Hardcore cristão é com a pernambucana Empire HC

Em uma cena com diversos estilos músicais e com temas cada vez mais diversos – seja falando de straight edge, de política ou de bebidas, há bandas que se denominam cristãs. O Rosa de Saron e o Oficina G3 talvez sejam os nomes mais lembrados no Brasil. Porém, não é só no rock levinho que a mensagem cristã se destaca. A Empire HC, de Jaboatão dos Guararapes (PE), une o cristianismo e o peso do hardcore.

No cenário hardcore, podemos ver muitas bandas com temas diversos, que vão da cultura straight edge até as zoeiras (como podemos ver o Cueio Limão e Coxinha Espacial), mas não é sempre que vemos uma banda, assumidamente, cristã. E talvez, isso possa dificultar o crescimento da banda.

“Nesse ano teve um probleminha no Dia da Música. Tocamos em um dos palcos aqui de Recife, o União Underground PE. Nele, iríamos tocar com umas dez bandas, sendo que depois que a Empire HC e a Retrieve (únicas bandas cristãs que tocaram no palco) foram confirmadas, algumas bandas desistiram de tocar por motivos inexistentes”, relata Maurício Gaudino, vocalista da Empire HC.

A banda lançou o seu primeiro EP República do Caos em fevereiro de 2017. Com sete faixas e pouco mais de 20 minutos, o disco fala, em geral, sobre coisas que vem acontecendo de ruim em nosso país e nas igrejas que estão se tornando muito midiáticas. As seis letras tentam mostrar uma solução para tudo isso.

Mas não é só sobre religião que a Empire HC relata. A letra do segundo som do disco, Política, que foi o primeiro single da banda pernambucana, dá uma alfinetada no governo e na população, no melhor estilo Surra de ser. Já Verdade é o resumo geral do disco em um único som. A crítica social e política no início seguida de uma pequena pregação fazem com que seja o melhor de República do Caos.

Recentemente, a banda lançou o lyric video da Dê Valor, faixa favorita de Gaudino. Com um hardcore envolvente e uma letra fácil de decorar, o som é um refúgio de tantas críticas à sociedade que envolvia as outras músicas do EP. Dê Valor te pede apenas uma coisa: reconheça os que estão em sua volta.

Encerrando o EP, a faixa Ser Humano conta com a participação de Pedro Rodox (Improviso Divino) e é o som mais longo, com pouco mais de seis minutos. Começando de um jeito leve, destoando um pouco do resto do disco. Mas a música fica muito pesada com os riffs chamando o participante a trazer um backing vocal com muita pedrada no ouvido. Talvez essa seja a melhor música para encerrar um trabalho desses. Ser Humano deixou uma vontade de “quero mais” e já nos anseia por um novo estilo que a banda pode passar a ser futuramente.

A capa desse belo disco foi designada por Hugo Boner. A arte é uma menção ao primeiro presidente do Brasil e ao país que ele o proclamou. A estética da capa representa o caos, sendo daí, representado a República do Caos.

Empire HC é formada por Mauricio Galdino (vocalista), Leandro Matteu’s (guitarra solo), Rodrigo JS (guitarra base), Rebeca Cristina (baixo) e Thiago Soares (bateria).

 

Comentários

Comentários