Ouvi no Filme - Lupa Charleaux

Os Infiltrados: O rock, o jazz e o clássico dão tom a trama policial de Martin Scorsese

Vencedor do Oscar de melhor filme em 2007, Os Infiltrados (2006) de Martin Scorsese é uma produção da categoria “filme completo”. Além de uma trama impressionante e excelente atuação, ele apresenta uma excelente trilha sonora original e uma ótima compilação de canções famosas. E por isso, é o tema desta semana no Ouvi No Filme.

Poucos sabem, mas o filme é um remake da produção de Hong Kong Infernal Affairs (2002) dos diretores Andrew Lau e Alan Mak. A versão americana se passa em Boston, mas segue a mesma premissa do original e com atores bastante aclamados pela crítica e pelo público.

O líder da máfia irlandesa Francis “Frank” Costello (Jack Nicholson) cria o garoto Colin Sullivan (Matt Damon) para ser seu informante na Polícia do Estado de Massachusetts. Do outro lado, temos o Estado enviando o jovem policial William “Billy” Costigan (Leonardo DiCaprio) para se infiltrar no grupo de Costello.

Em determinado momento, ambas as partes descobrem que existe um infiltrado em sua organização. Assim resta aos protagonistas tentarem desmascarar o “rival” antes de ser descoberto. A trama intensa é bem contada no trailer.

Os Infiltrados conta com duas trilhas sonoras. Uma com uma compilação de músicas selecionadas pelo músico e produtor canadense Robbie Robertson a pedido de Scorcese. E outra com canções originais compostas pelo compositor canadense Howard Shore que foi indicada ao Grammy de Melhor Trilha Sonora Original. E acredite, ambos os discos possuem uma qualidade incrível.

Trazendo referências do rock, country, jazz e do pop; a seleção de Robertson se encaixou bem em diversos momento durante a produção. A cena inicial com o primeiro encontro entre os personagens Costello e o jovem Sullivan é acompanhada por Gimme Shelter do The Rolling Stones. Além da canção “Jagger/Richards”, a passagem ainda tem uma ótima atuação em off de Jack Nicholson trazendo um panorama da visão da máfia irlandesa, como eles conquistam novos membros e sobre ser criminoso ou bandido.

Além dos Stones – que aparecem também com Let It Loose – Roger Waters, Beach Boys, Allman Brothers e Badfinger participam da trilha sonora selecionada. Contudo, Robertson trouxe coisas mais recentes para sua seleção. E nada melhor do que uma banda “local” para participar do material.

I’m Shipping Up to Boston do Dropkick Murphys é a canção que acompanha o policial Costigan. Ela aparece quando ele passa um tempo na prisão com a intenção de maquiar melhor seu histórico antes de se infiltrar na máfia irlandesa.

A colaboração da banda de irish punk com a trilha sonora do filme de Scorsese foi muito importante para a carreira deles. Além de ajudar a popularizar ainda mais a banda, a faixa é o primeiro e único single do grupo a conquistar o selo de platina em vendas.

As composições feitas por Howard Shore se seu trabalho com violonistas talentosos merece destaque. The Departed Tango tem a participação do músico americano Marc Ribot e abusa da influência latina. Segundo o próprio diretor Scorsese, a canção tem características de um tango bastante perigoso e letal.

Sharon Isbin, violonista clássica americana e ganhadora do Grammy, foi responsável pelos os acordes de Beachon Hill. A faixa é mais intimista com características de folk e música clássica. Sem dúvidas, ela se destaca por sua melodia melancólica que combina com o desfecho da produção.

Roy Buchanan, The Human Beinz, LaVern Baker, Patsy Cline são outros nomes que participam da trilha sonora de Os Infiltrados. Com um ótimo clima retrô, o álbum é algo bastante gostoso de ouvir, bem diferente da trama que deixa o público na ponta do sofá para saber o desfecho. Escute:

Comentários

Comentários