Mundo Extremo - Cláudio Azevedo

Resenha – Corrupting Influence – Internal Bleeding


CLÁUDIO AZEVEDO

Apesar de não ser um dos nomes mais lembrados dos deathbangers brasileiros, o novaiorquino Internal Bleeding já possui uma extensa carreira. Formado em 1991 e passando por várias pausas e retornos, o grupo lançou em 1995 Voracious Contempt, um petardo que teve uma boa repercussão no underground da época. De lá para cá, foram mais quatro álbuns de estúdio e diversas mudanças de formação, inclusive a morte do baterista original Bill Tolley, durante um combate a um incêndio em 2017. Somente o guitarrista Chris Pervelis sobrou da primeira encarnação da banda.

Aproveitando a ótima fase que vive o death metal, em 2018 o grupo ataca com Corrupting Influence, mais uma vez pela Unique Leader Records. Sem muitas delongas ou inovações, o que se ouve aqui é a continuação do estilão tradicional do conjunto, ou seja, death metal que alterna as tradicionais partes velozes com muito groove, o que é explicado facilmente pelo fato do Internal vir de New York.

As músicas vão direto ao ponto, tornando a audição do álbum bem “fácil”, portanto, é acionar o play e se deliciar com pauladas como a faixa-título, a ótima abertura com Compelled to Consume, Sorrounded From The Inside, The Supreme Sacrifice (que termina com um inusitado solo de bateria) e as belíssimas Focus e Final Justice, que foram lançadas previamente como vídeos.

Pervelis continua com riffs simples e eficientes, e o vocalista Jon Marchese se destaca por seus guturais e “pig squeals”. Enfim, um poderoso trabalho de uma banda veterana que ainda é capaz de meter medo em muito músico iniciante. Isso que é death metal!

Corrupting Influence
Ano de Lançamento: 2018
Gravadora: Unique Leader Records

Faixas:
1-Compelled to Consume
2-Corrupting Influence
3-Fatal Dependency
4-Focus
5-Surrounded From The Inside
6-Unreality
7-Litany of Insincerity
8-Final Justice
9-The Supreme Sacrifice

Comentários

Comentários