Previdência social

A Previdência Social é insubstituível

Tanto se fala em déficit previdenciário, anuncia-se rombos e insegurança, que muita gente acha que existem sistemas previdenciários privados que possam substituir o INSS. Ledo engano, nem é verdade que o INSS tenha qualquer possibilidade de não pagar seus benefícios e muito menos que possa ser substituído. Os Seguros Sociais de todo o mundo são conquistas dos trabalhadores e responsabilidades do Estado. Seja de forma contributiva, como os sistemas alemão e brasileiro, ou por garantias assistenciais, como o inglês, substituem a remuneração dos trabalhadores quando acometidos de riscos sociais, como a doença, a invalidez ou a morte.

As previdências privadas que temos em nosso país são apenas complementares e não substitutivas, como os fundos fechados por empresa ou associação ou os administrados pelos bancos e financiadoras. Especialmente os Planos de Contribuição Definida, que não são seguros e sim aplicações financeiras.

Bem ao contrário do que expressam as preocupações constantes dos segurados, os benefícios mais importantes do seguro social não são as aposentadorias por idade ou por tempo de contribuição, e sim as que decorrem de sinistros, de imprevistos, o auxílio-doença, a aposentadoria por invalidez e a pensão por morte. Os benefícios voluntários permitem previsões e escolhas; os PGBL (Planos Geradores de Benefícios Livres), seguindo a normalidade democrática e econômica no Brasil, poderão ser boas opções para complementar a renda na velhice, mas não substituem o INSS.



One comment

  1. José Laurindo Duarte

    Boa noite, caro Dr.Sérgio, realmente também concordo com você. Agradeço existir o INSS, pois me amparou na hora em que uma renda complementar não serviria, no meu entender.
    Saudações, caro Dr.Sérgio.

    José Laurindo Duarte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *