Professores estudantes

Entrevista com o juiz de direito e professor que ainda se considera um estudante.

 

O blog está muito feliz hoje, o nosso post traz uma enriquecedora conversa com um dos mais queridos e estimados professores universitários aqui da Baixada Santista.

Com a agenda atribulada entre as atividades de Juiz no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a Coordenação do Curso de Direito da Universidade Metropolitana de Santos e suas aulas de Direito Civil no mesmo curso, este competente profissional encontrou um tempinho para conversar conosco e dividir suas experiências.

O magistrado Ramon Mateo Júnior é profissional conhecido e reconhecido na nossa região.

Atualmente atua na 7ª Câmara de Direito Privado no TJ de São Paulo.

Quem o conhece sabe do carinho e dedicação a qual exerce seus misteres.

Trata-se de uma pessoa acessível, amigo, bem-humorado, e detém com maestria o respeito dos colegas e alunos.

Melhor do que falar sobre ele, sob pena de não ser fiel a todos os seus ensinamentos, reproduzo a nossa conversa.

Preste atenção estudante!

A experiência do nosso entrevistado com certeza enriquecerá a sua preparação.

 

Dr. Ramon - Unimes

 

Blog_BEE:     Sempre foi um aluno estudioso enquanto cursava a faculdade de Direito? 

Profª. Ramon Mateo Júnior: Na verdade não. Como muitos estudantes hoje em dia, tinha uma jornada dupla, trabalhava como escriturário na Prefeitura de Praia Grande e também estudava. Praticamente fiz meus 3(três) primeiros anos apenas preocupado em estudar para as provas.

 

Blog_BEE:      E como foram os 2 (dois) últimos anos da faculdade?

Profª. Ramon Mateo Júnior: Quando eu cursava o 4º ano, sai da prefeitura para trabalhar no 3º Ofício Cível no Fórum de Santos, e nesse momento me deparo com o grande mundo do Direito. Amadureço a ideia de ser magistrado e percebo que não alcançaria esse intento automaticamente, a faculdade não me daria de graça esse objetivo. Sendo assim, decido mudar o rumo da minha vida.

 

Blog_BEE:      Após constatar que precisava fazer algo diferente para alcançar seu objetivo de ser magistrado o que fez?

Profª. Ramon Mateo Júnior: Como assistia as aulas no período da manhã e trabalhava no período da tarde, apesar do cansaço, tentava fazer meu estudo no período noturno. Nessa época eu já tinha constituído uma família, e era preciso arranjar tempo para eles também. Desse modo, passei a dar mais valor e aproveitar as aulas que tinha na faculdade, e estudar além do que seria exigido para as provas.

 

Blog_BEE:      E após a formatura como foi o início da vida profissional?

Profª. Ramon Mateo Júnior: Após formado recebi um convite para trabalhar em um renomado escritório de advocacia, o que aceitei e me dediquei por um tempo. Porém, percebi que não estava me preparando a contento para o concurso da magistratura. O estudo que fazemos ao exercer a nossa profissão não é o mesmo para um concurso público. Diante desse impasse, tomei a difícil decisão de investir tudo, tempo e reservas financeiras, exclusivamente na minha preparação para o concurso de juiz.

 

Blog_BEE:      E como foi essa preparação para o concurso?

Profª. Ramon Mateo Júnior: Me formei em 1987, e nessa época o acesso a informação era mais difícil. Não existia a facilidade da internet, nem a grande oferta de cursos preparatórios como atualmente. Desta maneira criei meu próprio método. Busquei o 5(cinco) últimos editais dos concursos para a magistratura de São Paulo, identifiquei as matérias que eram mais cobradas e estudei seu conteúdo. Em um papel de cartolina montei um cronograma e o segui fielmente. Estudava 4(quatro) horas pela manhã, almoçava, estudava mais 4(quatro) horas pela tarde, fazia 1(uma) de ginástica e reservava o período da noite para ler jurisprudências (decisões dos Tribunais sobre determinado tema).

 

Blog_BEE:      Por quanto tempo seguiu seu método até a aprovação?

Profª. Ramon Mateo Júnior: Levei 2(dois) anos me preparando dessa forma até a minha aprovação.

 

Blog_BEE:      O sucesso na aprovação foi logo no primeiro concurso que prestou?

Profª. Ramon Mateo Júnior: Não. Prestei um concurso anterior para a magistratura e outro para o Ministério Público e não passei em ambos. Porém, não desisti. Para mim o insucesso não pode ser sinônimo de desânimo, deverá servir como combustível para continuar na busca de estar melhor preparado.

 

Blog_BEE:     Para os estudantes que ainda não se decidiram qual faculdade fazer, acredita que o curso de Direito é uma boa opção ?

Profª. Ramon Mateo Júnior: Para mim, nenhum curso de graduação, que é realizado em meio período, proporciona tantas possibilidades de trabalho quanto o curso de Direito. O formado, desde que aprovado no Exame de Ordem, poderá atuar como advogado, consultor, como também prestar concursos para Juiz, Promotor, Delegado de Polícia, Procuradorias, enfim são muitas as opções.

 

Blog_BEE:     Para finalizar, nos diga:  o juiz e o professor ainda estuda?

Profª. Ramon Mateo Júnior: Sim, certamente. Somos eternos estudantes. O operador do direito nunca para de estudar. Para toda decisão que preciso proferir em um processo ou cada aula que irei ministrar tenho que estudar. Impossível sermos bons profissionais sem nos mantermos preparados e atualizados.

TAMO JUNTO!!! Nós estudamos e você ? facebooktwitteryoutube



2 comentários

  1. samia brenia sales silva

    obrigado por seus comentários! vale a pena estudar e correr atrás de nossos sonhos,por que sem persistência não se chegar a lugar nenhum!!!
    E com certeza vou seguir a risca seus métodos para conseguir a tao almejada carreira profissional quer quero pra mim.
    um grande abraço!

    1. Martha Vergine Blogueira

      Prezada Sâmia

      Obrigada pela sua participação.

      Tenho certeza que você irá conquistar a sua carreira tão sonhada.

      Volte aqui para nos contar a sua aprovação.

      Estamos aguardando.

      Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.