Futebol

Arthur tem estreia animadora pelo Barcelona

A estreia do volante Arthur com a camisa do Barcelona, na madrugada de ontem, foi animadora. Além de marcar um lindo gol no empate por 2 a 2 contra o Tottenham, em partida disputada nos Estados Unidos, o ex-gremista mostrou um ótimo poder de marcação, excelente toque de bola e muita desenvoltura para quem acabou de chegar a um dos maiores clubes do planeta. Serviu, uma vez mais, para escancarar o quanto o técnico Tite errou ao não convocá-lo para a Copa do Mundo na Rússia.
Não quero parecer aqueles chatos que vivem dando murro em ponta de faca e não aceitam a perda do hexa, mas a presença de Arthur seria muito mais útil ao Brasil, ainda que no banco de reservas, do que o inoperante atacante Taison, por exemplo, que aproveitou os 30 dias em solo russo para fazer turismo e manter-se em forma, já que nem entrou em campo durante o Mundial. Ainda mais num elenco que carecia de alternativas, com Philippe Coutinho e Willian instáveis demais durante toda a competição.
Contra o Tottenham, o volante acertou 93% dos passes dados e dominou as ações no lado direito do campo. O gol foi a cereja no bolo de um belo cartão de visitas. Nada surpreendente para quem acompanhou com atenção a campanha o tricampeonato do Grêmio na Copa Libertadores da América de 2017, que teve atuações monstruosas de Arthur, em especial no segundo jogo da final contra o Lanús, quando o garoto de 21 anos foi eleito o melhor em campo mesmo atuando só 45 minutos, devido a uma lesão.
Em um primeiro momento, o Barcelona é quem tem muito a ganhar com o brasileiro. Se sua adaptação seguir neste ritmo, Arthur minimamente poderá fazer duas funções na equipe catalã, dando um respiro ao volante Busquets – dono da posição há quase uma década e que não descansa jamais por falta de opções decentes no banco – e até se candidatando a atuar no espaço ocupado até a temporada passada pelo craque e ídolo Iniesta, se necessário, em uma função mais ofensiva.
Depois, a Seleção poderá dar um tremendo salto com a explosão do ex-gremista. Gostaria muito de ver Tite escalando um meio-campo com Casemiro, Arthur, Philippe Coutinho e Lucas Paquetá, do Flamengo. Por mim, já seria o quarteto titular nos amistosos de setembro, nos Estados Unidos. Definitivamente, o caminho do hexa passa pelos pés de Arthur. E isso pode ser ótimo para o Brasil.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *