Futebol

Brasil dá vexame e show de falta de vontade no Sub-20

Você está lendo este texto na segunda (21), mas saiba que eu o escrevi na noite de sexta (18), cerca de 10 minutos após o Brasil ser eliminado pela apenas esforçada seleção do Peru no Campeonato Sul-Americano Sub-20. Portanto, tudo o que não consigo é ser racional no momento. O que pode ser até bom, pois parece que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) precisa de um choque de gestão imediato nas categorias de base.

O Brasil não era eliminado na 1ª fase dessa competição desde 1971. O vexame aumenta ainda mais quando paramos para pensar que somos os atuais campeões Sub-20 da América do Sul e do Mundo, ambos em 2011. Tudo bem que nem todo ano teremos uma geração de gênios como Neymar, Lucas e Oscar no mesmo time. Só que isso não ameniza o fato de termos saído do Sul-Americano de 2013 com uma vitória em quatro jogos.

Emerson Ávila foi o técnico do fracasso
Emerson Ávila foi o técnico do fracasso em 2013

Não tenho a menor ideia da qualidade do trabalho do treinador que a CBF colocou para comandar a Sub-20: Emerson Ávila. O fato é que, no Sul-Americano, ele foi um desastre. Não sabia se privilegiava os meninos que estavam sob seu comando desde a categoria Sub-17 ou se dava espaço a destaques do último Brasileirão. Nesse impasse todo, deixou no banco de reservas o jogador Rafinha, revelação do Barcelona.

Eu demitiria Emerson imediatamente. Não é possível que uma derrota como essa passe em vão. Só que a culpa não é só dele. Alguém o colocou lá para substituir Ney Fraco e merece ser punido. Mas o pior é perceber que essa geração não promete muita coisa para o futuro do futebol brasileiro. Estou mais azedo que o costume pelo choque com a derrota por 2 a 0 contra o Peru, mas não temos muita gente boa, de verdade.

Contra o Peru, entramos com Luis Gustavo, Igor Julião, Luan, Dória, Mansur, Misael, Lucas Cândido, Rafinha, Felipe Anderson, Leandro e Bruno Mendes. Dessa cambada toda, eu salvaria Dória, Rafinha e Bruno Mendes. Juro por Deus. O resto pode ganhar a vida na Rússia ou Ucrânia e sumir do mapa. Não que um meia como Felipe Anderson seja ruim. Sabe bater na bola como poucos. Mas dorme em campo, credo!

E não me digam que a Argentina também rodou na 1ª fase do Campeonato Sul-Americano, então estamos iguais a eles. Isso não serve como desculpa. Que Luiz Felipe Scolari abra o olho e dê um jeito nessa coisa toda. Senão a base da Copa do Mundo de 2014 terá de carregar o piano também em 2018, 2022 e 2026, sem ajuda de mais ninguém. Ou você espera que o sonolento meia Adryan salve nossa pele um dia?

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=sIyx4WALMe0]


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *