Futebol

Jogos históricos – River Plate 1×4 Vasco da Gama – 2000

Um dos melhores times que o Brasil já viu foi o Vasco da Gama de 2000. Era uma seleção montada pelo polêmico dirigente Eurico Miranda. Tinha o goleiro Hélton, o zagueiro Junior Baiano, a dupla de Juninhos no meio-campo (era o Paulista de um lado e o Pernambucano de outro) e Romário, que evidentemente dispensa qualquer apresentação. Na semifinal da Copa Mercosul daquele ano, o elenco teve uma exibição histórica diante do River Plate, da Argentina. É esse jogo que o Blog Futebol Internacional faz questão de apresentar ao amigo internauta. Disputado em 22 de novembro de 2000, o duelo ocorreu no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. O River tinha um dos times mais fortes da América do Sul. Mas foi vítima de um Vasco poucas vezes tão eficiente na vida. Os argentinos pressionaram, mas cada ataque dos cariocas terminava em gol. Era a sorte aliada à competência…

Futebol

Empate com gosto de derrota deixa todo mundo feliz da vida no River Plate. Pode?

O River Plate empatou neste domingo em 3 a 3 com o Newell’s Old Boys, em casa, depois de estar vencendo por 3 a 1. Num primeiro momento, ficou o gosto amargo de derrota, pois é difícil engolir a soma de apenas um ponto depois de um jogo tão bom. Contudo, analisando com bastante calma a partida inteira, o River parece ter achado um caminho para marcar de vez sua volta à 1ª Divisão. Por isso, apesar do empate, saiu de campo esperançoso e crente de que pode fazer muito mais. Mas, afinal de contas, o que deixou a galera tão feliz? O fato de o treinador Matias Almeyda ter escalado três atacantes, apostado num esquema ofensivo e a fórmula maluca ter dado certo. Para quem pensa que o francês Trazeguet está no River apenas para matar o tempo livre antes da aposentadoria, fica a dica: o cara continua jogando…

Futebol

Quer emoção? Então fale com os argentinos

A fórmula de disputa é simples, porém estranha. Turno único e chega. As torcidas celebram dois campeões nacionais por ano e existe a banalização do maior troféu do país. Para piorar, o cálculo feito para definir os rebaixados é patético, pois leva em conta a média de pontos em três anos e obriga os torcedores a frequentarem estádios com calculadoras nas mãos. Existe um campeonato assim no mundo? Sim! Agora joga tudo isso num caldeirão imaginário, misture bem, adicione dinheiro do governo federal e você terá como resultado final o que acontecerá no próximo sábado e domingo na Argentina. Com grana pública sendo usada para manter em dia o futebol, estádios acanhados e falhas nos regulamentos. Mesmo assim, o país inteiro estará de olho nos jogos e diante de televisores e rádios. Hora da final! O Campeonato Argentino experimenta neste final de semana uma sensação única de sucesso e dever…

Futebol

Racing vence pênaltis e dá um duro golpe no River Plate

O River Plate tem um objetivo claro e inegociável: voltar à 1ª Divisão do futebol argentino até o final do mês. Sempre ciscando a liderança da 2ª Divisão desde que ela começou, a meta deve ser batida e servirá para espantar de vez o vexame que foi passar um ano sofrendo contra times pequenos e sendo motivo de chacota dos grandes rivais. O problema é que, paralelamente à luta pelo acesso, o River queria beliscar o título da Copa Argentina para provar que o rebaixamento foi um acidente e ele ainda sabe como vencer os grandes adversários. Só que o time falhou e o tiro saiu pela culatra. Na noite de domingo, o River Plate empatou a semifinal contra um de seus maiores rivais, o Racing, por 0 a 0. Na decisão por pênaltis, veio o duro golpe: o time ficou a uma cobrança de ir para a final e…