Atualidades

Falar em público é possível para qualquer pessoa?

Uma dúvida frequente quando vemos oradores de sucesso é, qualquer pessoa pode falar em público?

Sim, qualquer pessoa pode falar em público desde que se prepare para isto, principalmente no aspecto emocional, já que uma das principais fobias que existem é o medo de falar em público.

A questão de se expor e ser julgado por uma platéia é assustadora e limitante para muitas pessoas, por diversas razões.

Muitos passaram por experiências traumáticas na infância, durante o período escolar, e desde então criaram um bloqueio que impede que se exponham sem sentir diversos tipos de sintomas que impossibilitam uma boa exposição.

Para superar esta limitação, há inúmeras possibilidades, como a psicoterapia, terapias para fobias como o EMDR, terapia breve, PNL, coaching, constelações sistêmicas, cursos de oratória e expressão verbal, dentre outros.

Acompanhei diversos casos de pessoas portadoras de muita limitação e medo de falar em público, que recusavam convites para participar de alguns eventos, até que a partir de um certo momento, esta dificuldade começou a atrapalhar severamente o lado profissional, impedindo que aproveitassem oportunidades que surgiam, quando então decidem procurar uma maneira de superar e curar esta limitação.

Para falar em público com sucesso, é fundamental que estejamos preparados técnica e psicologicamente, e tenhamos uma dinâmica de expressão que atinja o público alvo, como um todo.

Conhecimento técnico sobre o tema é básico, mas se fosse somente este o requisito necessário as pessoas conhecedoras dos assuntos sobre os quais vão palestrar não teriam problema em se expressar.

Treinar e conhecer sobre o tema a respeito do qual irá falar, saber expressar-se através da fala, da postura corporal, do olhar, da movimentação, e passar o conteúdo com lógica e dinamismo, alcançando o interesse e a motivação do público é uma arte que pode ser treinada e aprendida, possibilitando o sucesso da apresentação.

Há controvérsias sobre o uso de recursos multimídia e audiovisuais.

Um palestrante que lê todo o conteúdo para o público torna-se geralmente desinteressante, já que qualquer um pode ler a respeito do tema, sem precisar que alguém o faça para ele.

O uso moderado de fotos, vídeos e gráficos, sobre os quais o palestrante faça as explicações e embase sua fala pode ser interessante e reforçar a mensagem.

Algumas escolas de treinamento sugerem que o palestrante use um flipchart para escrever sobre sua fala, e use imagens e vídeos somente quando extremamente necessário.

Todas estas maneiras de falar a uma platéia dependerão muito do carisma do palestrante e de seu preparo e envolvimento com o público.

Muitos se perguntam se há alguma técnica infalível?

Não há técnicas infalíveis, porém quando o palestrante pode conseguir conquistar a atenção de seu público através do envolvimento emocional, do despertar da curiosidade sobre o tema, e da transmissão clara, dinâmica e focada de sua apresentação, terá a oportunidade de transmitir sua mensagem de maneira efetiva e conquistar sua audiência.

Os primeiros minutos da sua fala são importantes para conquistar a curiosidade e a motivação da audiência e garantir que a partir daí estarão disponíveis e participativos para participar do evento.

Claro que o palestrante deverá manter o nível e trazer e desenvolver um conteúdo interessante, de maneira didática e com boa expressão para manter o público participando junto a ele.

O final, quando poderá fazer um resumo do tema, reforçar seu interesse e relevância, e deixar uma mensagem positiva que toque a audiência, fará com que a lembrança do evento e de si mesmo enquanto profissional de excelência no tema seja positiva, levando o público a querer participar novamente em um futuro evento.

Algumas dicas que qualquer pessoa possa usar para ajudá-as a ter uma palestra bem sucedida:

Conheça bem o tema sobre o qual irá falar prepare e treine sua apresentação.

Crie um estado propício para passar sua mensagem, esteja tranquilo, atento, focado, motivado e preparado para quaisquer intercorrências que possam acontecer, como problemas técnicos dos meios audiovisuais acessórios, ou pessoas que queiram criar polêmicas.

Movimente-se sem excessos, varie o tom e o volume de sua fala, dê exemplos práticos que despertem curiosidade e conectem as pessoas ao tema, não seja soberbo ou humilde demais, seja natural e mostre conexão com as pessoas e com o tema.

Seja bem humorado, mas não conte piadas que possam constranger pessoas, nem seja vulgar.

Assista outras pessoas que abordam temas semelhantes aos seus, para aprender com seus pontos fortes e fracos, a ampliar seu repertório.

Assista também pessoas que são tidas como bons oradores, mesmo que em temas diversos dos quais aborda, para observar sua postura, como transmitem sua mensagem e interagem com a audiência.

Falar bem é um aprendizado, que deve evoluir continuamente, e tem como base a autoconfiança e o conhecimento, e pode ser aprimorado com treinamento e dedicação.

Comece se apresentando e fale sobre a relevância do tema que irá abordar, por que este tema é interessante para a audiência, o que ganharão ao participar, e a seguir comece a desenvolver o tema, de maneira lógica e didática, com exemplos práticos.

Se preferir, pode abrir para algumas perguntas durante a apresentação, ou combine de deixá-las para o final, mas é interessante estar aberto para interagir com o público, sem se mostrar o dono da verdade ou inacessível.

No final, faça um resumo do que falou, agradeça a atenção de todos e quando cabível, abra para perguntas e comentários, mostrando-se interessado na participação da audiência e no que tem a dizer e contribuir.

Deixe um meio de a audiência entrar em contato posteriormente, como um e-mail ou rede social.

Se o palestrante precisa de ingerir bebida alcoólica ou medicamentos para falar em público, isto é sinal que não se sente preparado para tal, e é indicado que procure ajuda profissional para superar suas limitações.

Evite sempre o uso de qualquer substância que afete sua cognição, raciocínio ou postura.

Evite contar piadas que possam demonstrar preconceito, não seja grosseiro, não demonstre superioridade ou inferioridade. Seja sempre natural.

Não imagine que irá acontecer algo errado, mas encontre-se preparado para intercorrências, que podem sempre acontecer.

Não caia em possíveis provocações, mostre-se educado e firme, sem responder a possíveis agressões e ofensas, que não são comuns, mas podem acontecer.

Prepare-se adequadamente antes do evento, e faça o melhor, aprimorando-se sempre, para superar-se a cada apresentação, mantendo a motivação e o interesse.

Esses são alguns dos requisitos para o sucesso em sua apresentação e para posicionar seu nome como referência no tema que desenvolve.

Ao final de de agosto, todos que colaborarem com o blog através de comentários, críticas construtivas e sugestões concorrerão a um exemplar com minha dedicatória do livro “Novo Manual de Coaching”!

Quem colabora ativamente com o blog faz parte do time da saúde e qualidade de vida e ainda pode ganhar diversos prêmios saudáveis!

Muita paz e saúde a você e aos seus!

Dr. Roberto Debski

Médico – CRM SP 58806

Especialista em Homeopatia e Acupuntura pela Associação Médica Brasileira

Psicólogo – CRP/06 84803

Coach Sistêmico e Trainer em Programação Neurolinguística

Facilitador em Constelações Familiares



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.