Convívio com o pet

FeLV é coisa séria

foto shutterstock

A leucemia felina é uma doença incurável. Portanto, a prevenção é o único meio para se evitar o problema

Conhecida também pela sigla FeLV (vírus da leucemia felina), a leucemia é causada por um vírus que possui a capacidade de predispor o animal a desenvolver tumores ou doenças degenerativas. Doença incurável, porém silenciosa, muitas vezes acomete os bichanos sem apresentar sintomas iniciais. A vacinação preventiva é o recomendado. Quer saber mais sobre o problema? Veja o que diz Alexandre Merlo, veterinário e gerente técnico de animais de companhia da Zoetis:

Cães também podem se infectar?
Não, nem cães nem humanos. A transmissão ocorre somente entre gatos por meio do contato, principalmente com a troca de secreções corporais como saliva, lágrima, urina e fezes. A principal forma de passar o vírus é por meio das lambeduras entre animais que vivem juntos. O vírus também pode ser transmitido durante a amamentação.

Quais são os sintomas da FeLV?

Apesar de muitos bichanos não apresentarem ou demorarem para mostrar sintomas da doença, a perda de peso pode ser um deles. Depressão, falta de apetite e diarreia também são vistos, entre outros. O felino pode viver anos sem apresentar sintoma algum dependendo do subtipo de vírus presente no animal e de sua condição imunológica.

Como descobrir se o gato é portador do vírus?

A leucemia felina pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue realizados em clínicas veterinárias.

Gato com FeLV deve ser imunizado?
Não. A vacina (quíntupla felina ou Fel-O-Vax LV-k IV + Calicivax, no caso do produto da Zoetis) é indicada apenas para animais que não possuem a doença. Ela previne que um bichano saudável se infecte com o vírus. Antes de vacinar, é importante fazer o teste para saber se o animal já é portador da doença. No caso de um felino já infectado, a vacina não servirá para tratá-lo.

Um gato com FeLV tem vida mais curta?
O vírus que causa a doença mexe com o sistema imunológico do animal, além de poder causar anemia e predispô-lo a desenvolver tumores. Infelizmente, um gato infectado pode, sim, viver menos. A FeLV não tem um tratamento específico, o animal é tratado conforme os sintomas aparecem. Por isso, o mais indicado é que os gatos saudáveis sejam regularmente vacinados para que não corram o risco de contrair a doença.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *