Palmeiras

Moisés fora de combate

Amigos, a goleada do Palmeiras sobre o Linense por 4 a 0 ficou em segundo plano, devido à grave lesão do Moisés, um dos melhores jogadores do Verdão em 2016. Com o rompimento de dois ligamentos do joelho e fora de combate por seis meses, o rapaz está bem chateado com Zé Antônio, que havia lesionado o meia no começo da temporada anterior. Pois é, pela segunda vez, Moisés terá de acompanhar o Alviverde Imponente, sem ajudar muito e em função de outra entrada forte do colega de profissão. O time? Gente, gostei do quadro de Eduardo Baptista. No entanto, devemos levar em consideração que o Santos goleou essa equipe do interior pela contagem de 6 a 2, não faz muito tempo. O futebol é dinâmico, mas a galera espera que Borja possa ser inscrito no Paulistão e dê conta do recado. Boa recuperação, Moisés.

São Paulo

“Não tivemos calma”

Amigos, Rogério Ceni lamentou a falta de tranquilidade do São Paulo diante da valente equipe do Mirassol. Com a partida praticamente resolvida, uma bobeada do Maicon reacendeu a esperança dos visitantes em campo, mas o treinador evitou comentar sobre o vacilo do zagueiro, pois trata esse assunto “internamente”. Sobre a volúpia de atacar, Rogério deixou claro que não gostou do comportamento da equipe. Portanto, resta ao técnico corrigir, pois um time organizado jamais poderia sofrer tal tropeço. Nas duas rodadas anteriores, o Tricolor saiu atrás e reagiu. Entendo que é necessário existir um padrão tático para absorver as situações naturais nos quatro cantos do gramado. E Ceni também pensa da mesma forma.

São Paulo

Tricolor surpreendido pelo Mirassol

Amigos, o empate por 2 a 2 não estava nos plano de Rogério Ceni. O São Paulo abriu a contagem logo no início, com o estreante Lucas Pratto e ampliou o placar, na etapa final. O Mirassol, invicto no Paulistão, conseguiu diminuir em uma falha absurda de Maicon, que assumiu a responsabilidade. E Xuxa, no finalzinho, garantiu o precioso ponto aos visitantes, diante das 44.000 pessoas presentes no Morumbi. Gostei do Pratto, mas o vacilo do Maicon, quando a vitória parecia certa, é imperdoável. Lembro que a direção do Tricolor, pressionada pela galera, investiu uma fortuna para ficar com o zagueiro em 2016. Após o jogo, Cueva tentou defender o companheiro, mas não tem defesa. Um jogador de porte do zagueiro são-paulino jamais poderia errar daquela forma. Mesmo assumindo a bronca, o becão terá de ficar esperto, na minha opinião.

Corinthians

Outra vitória corintiana

Amigos, o Audax registrou mais de sessenta e cinco por cento de posse de bola, mas futebol é bola na rede. Com humildade, o Corinthians conquistou novo triunfo pela contagem mínima e a galera já deixou Osasco com o grito de “É quarta-feira”, devido ao clássico da próxima semana diante do rival Palmeiras. Sobre o jogo deste sábado, prestigiado por seis mil pessoas, gostei do Camacho, que não jogou o tempo todo, em função do desgaste. Kazim fez a parte dele, com o gol solitário. Depois da partida, Fábio Carille disse que Jô não foi poupado, mas na mesma frase apontou preocupação com a sequência de jogos do moço. Bem, não vimos um confronto maravilhoso, mas o Timão mereceu vencer. E poderia ter obtido outros gols, caso Leo Jabá não perdesse tantas chances.

Corinthians

Pablo é bom jogador, mas terá o Audax pela frente

Amigos, a prova de fogo do zagueiro Pablo está marcada para o sábado. Depois de garantir a vitória diante do Novorizontino, o beque mosqueteiro vai enfrentar o bom conjunto do Audax. Na minha opinião, antes do clássico diante do rival Palmeiras, Fábio Carille também terá de mostrar serviço. O Corinthians é apenas um time de muita garra e Jadson não estreia antes de duas semanas. Portanto, a equipe entra em campo sem ele nas próximas rodadas. Jô foi poupado e fica fora do compromisso contra o clube presidido pelo Vampeta. Marlone, Fellipe Bastos e Moisés devem sentar no banco de reservas. A provável formação: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Romero, Camacho, Rodriguinho e Leo Jabá; Kazim. Nos bastidores, Cristian criticou o treinador na entrevista concedida à TV Globo, pois não consta da lista de inscritos do Paulistão. O volante, recentemente homenageado pelas cem partidas com a camisa…

Palmeiras

A cobrança vai continuar

Amigos, esse papo de que a vitória sobre o São Bernardo diminuiu a pressão sobre Eduardo Baptista não convence. Sinceramente, O Palmeiras ainda não realizou um jogo de encher os olhos e faltou pouco para o Bernô abrir a contagem, no primeiro tempo. Evidentemente, considero que o Verdão está no início do trabalho, assim como os demais grandes, mas o fato de Baptista substituir Cuca é um desafio e tanto. Podem anotar e cobrar: basta um tropeço contra o Linense e a boataria irá recomeçar. A desconfiança da galera é grande, mesmo porque o técnico esmeraldino não foi bem no Fluminense, outro grande clube do País. Baptista trabalha duro e tem sido afável nas entrevistas, no estilo do pai Nelsinho. Mas, os resultados comandam o cotidiano do futebol.

São Paulo

Um time sem medo

Amigos, a definição de Rogério Ceni foi perfeita, depois da vitória sobre o Santos na Vila Belmiro. Realmente, o São Paulo é um time sem medo e que tenta propor o jogo desde o início, como tenho escrito neste espaço. Mesmo com o gol sofrido no começo da partida, o Tricolor aproveitou os vacilos do adversário e ainda foi presenteado com um pênalti infantil cometido pelo ala Zeca sobre Gilberto. Luiz Araújo, em contra-golpes mortais, balançou duas vezes as redes de Vladimir, na etapa final. Cueva foi muito bem no clássico, mas toda equipe merece o devido reconhecimento. Resta acompanhar a evolução dos comandados de Ceni, pois cabe ressaltar que o trabalho começou faz pouco tempo. E o Mirassol, próximo adversário, cumpre campanha destacada.